Avançar para o conteúdo principal

Já percebi...

...que para ser levada a sério tenho que começar a andar de saltos altos, andar maquilhada, cabelo arranjado, deixar de usar calças de ganga, deixar de usar sapatilhas/ténis, resumindo, deixar de ser uma Gaja e passar a ser uma mulher. O problema é que não sei se estou preparada para essa alteração...
A sociedade assim o dita, a partir de uma determinado momento da nossa vida fazemos essa transição e quem não o faz é como se ficasse no limbo, entre a vida e morte. Deixamos de ser levados a sério, deixamos de ser credíveis e passamos a ser uns deslocados que não percebemos bem qual é o nosso lugar na sociedade. 
Depois passamos a ter roupa para a semana e comportamentos para o dia a dia e a ter comportamentos para o fim de semana. É quando vamos às compras e decidimos que há roupa para o trabalho, roupa para sair à noite e ainda roupa para o fim de semana... pelo que estou a perceber é quando passamos a ser adultos. Isto é uma tarefa complicada e árdua, não sei se estou à altura.

Comentários

  1. É assim... Também depende do local de trabalho. Há locais que aceitam uma endumentária informal, mas outros exigem algo mais formal.

    É uma questão de adaptação. :)

    Bjx

    ResponderEliminar
  2. Já comecei a tentar essa transição. Agora, quando tenho de me vestir formalmente para uma reunião, os meus colegas de trabalho ficam com cara de parvos e dizem que não pareço eu, que fico mais gira. Não sei se hei-de levar a bem ou a mal...

    ResponderEliminar
  3. Claro que estás à altura. É uma transformação que temos que fazer, nem que depois de teres ganho alguma credibilidade, voltes às calças de ganga :)

    É tudo uma questão de atitude e claro, de local de trabalho...

    ResponderEliminar
  4. Claro que consegues. Mas de facto a roupa hoje em dia consegue definir logo uma postura à partida. Mas não é o fundamental!

    ResponderEliminar
  5. Nunca fui pessoa de usar tennis mas agora que me dá jeito porque ando um pouco não 'fica tão bem' porque estou em trabalho em contacto com pessoas. A imagem é tudo actualmente e temos que adaptar-nos. Começamos a ter vestuário para cada situação.

    Bjokas*

    ResponderEliminar
  6. é mesmo verdade. a roupa conta, a aparência e isso tudo. mas acho que não tem só a ver com o facto de crescer.
    pois já desde pequenos temos regras para o vestuário. não vamos de biquini para as aulas, vamos de fato de treino para a ginástica e por aí vai.

    cada sitio ou situação tem um "dress code". temos é de conhecê-lo e depois de o conhecermos é fácil.

    e, o melhor, é que nos tempos livres podemos nos vestir como quisermos.

    :D

    ResponderEliminar
  7. Ora aqui está um post que ainda não tinha comentado mas com o qual concordo a 100%.
    Tenho roupa mais clássica que visto algumas vezes mas nada me dá mais prazer do que as sapatilhas e as calças de ganga. E tenho a sorte de trabalhar num local onde posso ir como quero.
    Mas a verdade é que depois já não me basta o meu ar de miúda, somando com a roupa informal fico sempre com aspecto de adolescente que acaba por não me agradar.

    ResponderEliminar
  8. não gosto muito dessa ideia, mas a verdade é que a roupa da semana e diferente da de fim de semana! até as carteiras e sapatos! :/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Agora sim, vou ficar louca!

Eu pensava que era o trabalho que me ia levar à loucura. Que mais dois meses e estava internada no Júlio de Matos. Mas enganei-me. Estar em casa de cú para o ar sem ter de me preocupar com nada é que me vai levar à loucura.  O que me dizem é:'ah  tal tu só estás de férias há dois dias...vais arranjar alguma coisa e tal e tal'. Gente eu andava a mil, era contratar pessoas, era formar pessoas, era programar cuponeio, era ver cuponeio, era mandar 1500 mails com a mesma informação, era ligar ao departamento tal por causa disto e daquilo, era um acidente que acontecia e mais do mesmo, eram tretas e tretas e agora não há nada... E se eu não arranjar emprego fico um ser imprestável para o resto da vida!!!!

Despedi-me e agora?!?

Hoje foi o dia. Trabalho na mesma empresa há metade dos anos que tenho de vida e cheguei ao fim da linha. Não entendo como as empresas tratam os funcionários, foram anos de ameaças(que nunca passaram de ameaças), foram anos de exploração (consentida), foram anos de pressão desmedida, foram anos de exigência controladora e foram anos que perdi da minha vida.  Levo comigo uma aprendizagem para a vida, um esgotamento nervoso e uma depressão. Levo comigo no coração as mais de 800 pessoas que conheci, que me aturaram e que partilharam um pouco delas comigo. Agora não sei bem o que fazer, nunca procurei trabalho, nem sei bem o que sei fazer, nem sei bem para que serve a minha licenciatura...não sei de nada. Só tenho uma certeza, melhores tempos virão...

A metade da laranja, ou a tampa da panela, ou o raio que o parta!

Quando se chega a uma certa idade temos uma pressão descomunal de toda a sociedade, familiares, amigos casados ou amantizados, para que faças o mesmo.
Fui a um casamento em que a única pessoa sem acompanhante era eu e a minha sobrinha. Salvou-se o barman versus handyman que era lindo de morrer, super simpático e que fizemos amizade para a vida ou para a próxima semana vá.
Hoje, no segundo dia do casamento já diziam que nós vamos casar. Não nos vamos casar de certeza e vou continuar solteira por uns bons tempos, mas que há vontade para nos conhecermos melhor lá isso há.
E sinto que de um momento para o outro tudo está a mudar e estou a gostar da mudança.