segunda-feira, 25 de junho de 2012

Um som de verão

A rebentação das ondas.

Um cheiro de verão

O cheiro a mar salgado no corpo. Adoro!!!

Neste dia de verão vi*

Muita gente na praia, mais do que me apetecia. Mas mesmo assim dormi a bela da sesta debaixo da sombrinha de praia :)


*sei que era em relação ao dia 21, mas esse dia foi um dia cheio de nuvens e sem piada nenhuma.

domingo, 24 de junho de 2012

Coisas da vida

Quando há algo que não queremos partilhar, parece que toda a nossa vida gira em torno disso. Confuso. Chato. Interessante. Curioso.

As minhas leituras de verão

Normalmente ando sempre com um livro atrás, apesar de ultimamente não andar com muita vontade de ler e de ter o Kafka à beira mar ali na cabeceira não passo do inicio. Acho que esse vai ser a minha companhia nas tardes de verão na praia. O livro e as revistas cor de rosa :)

Um dia no campo no verão

Este dia não foi bem no verão, mas estava tanto calor como num dia de verão. Um piquenique com a família ao pé da ribeira e com muito verde à nossa volta. Simplesmente fantástico, uma dia a repetir!


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Os amores de verão

Ai, os amores de verão... já tive algumas paixonetas de verão mas nenhuma teve pernas para andar e por isso volto à mesma frase dos segredos:
'What happens in summer stays in summer!!!'


As melhores férias de verão

Acho que todos os anos temos umas boas férias de verão, todos os anos acabamos por tentar fazer algo que supere o ano interior. No ano passado foram umas boas férias, mais concretamente, espectaculares. Vamos lá ver se este ano conseguimos superá-las, tudo promete para isso :)

segunda-feira, 18 de junho de 2012

O meu bikini deste verão

Este ano não comprei nenhum. No ano passado comprei dois e só usei 1. Eu canso-me de os usar e como compro quase sempre um todos os anos, este ano vou misturar os vários que tenho e obter vários conjuntos. Tenho castanhos, verdes alface, laranjas, pretos...enfim vou ser tipo a árvore de natal na praia :).
Não se pode comprar tudo, já comprei toalha então corto no bikini.

A minha toalha de praia

Apesar de já ter a toalha há quase um mês ainda não tive oportunidade de a usar :( e na net só encontrei a imagem que vos partilho.
Tenho que admitir que me faz alguma confusão ter uns pés de homem em vez de uns de mulher, pelos vistos as toalhas de praia fazem parte da colecção masculina. Eu gosto muito das toalhas de praia deles, já é a segunda que compro e são grandes e confortáveis mesmo como eu gosto.
A minha antiga toalha já deve ter uns 5 anos e adorava-a, castanha às bolinhas :)




domingo, 17 de junho de 2012

A praia do meu Verão

Obviamente não podia deixar de ser a Ilha de Faro. Não é nenhuma praia fantástica e inesquecível mas é a minha praia :) Por cá, temos inúmeras praias muito melhores que esta mas esta será sempre a minha praia.
Com o melhor e mais bonito pôr do sol do mundo!


O que mais gosto de comer no Verão

Adoro gelados!!!! e sabem tão bem nestes dias ou noites quentes :)

As manhãs, as tardes e as noites de verão

 De manhã temos praia :)

 De tarde temos piscina :)

De noite temos amigos e paródia :)

No Verão é isto que se quer: amigos, festa, praia e piscina e quando consigo tirar uns dias é isto que faço. Nos outros dias trabalha-se para o resto do mundo poder aproveitar o que o Algarve tem de melhor :)

sábado, 16 de junho de 2012

O meu cabelo de Verão

No verão não consigo andar de cabelo solto. Não dá, por mais que tente acabo sempre por o apanhar. O meu penteado de verão é sem dúvida o rabo de cavalo.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Há coisas que não entendo, mesmo.

Todos os anos fazem um apanhado de quantas baixas médicas indevidas e todos os anos vejo os valores gigantes que apresentam e que foram gastos nessas ditas baixas. Eu nunca tive uma baixa médica paga. Acho que posso estar com os pés pra cova e não vou ver baixas. Depois de uns quantos dias em que pensava que estava aqui a germinar uma gripe não é que me sai uma papeira.
Vou ao médico porque já não me mexo com as dores e o sr doutor diz-me que não faz mal, como sou mulher isto não é grave e posso trabalhar e só não posso dar é dar beijinhos. Gostava era de ver o senhor doutor a trabalhar assim, cheio de dores e com o pescoço inchado. Não consigo mexer o pescoço e quando os medicamentos começam a passar o efeito dói só de mexer os olhinhos. Isto passa e não é nada do outro mundo, eu é que não esperava ter isto aos 29 anos quando toda a gente tem em putos. 
Enfim, isto só para dizer que não me esqueci do desafio, apenas não tenho tido forças para me agarrar ao pc. Quando saio do trabalho é xixi e cama...

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Nada contra a Selecção deste europeu...

...mas a minha selecção de ouro já lá vai :)


A pressão dos 30 (aviso a toda a população, texto longo e chato)

Não sei se isto afecta ou afectou alguém da mesma forma que me afecta a mim. EU não vejo o aproximar dos 30 como algo catastrófico ou assustador. Eu vejo os 30 como mais um patamar atingido. 
Porém, à minha volta e no meu meio (família) há muita pressão à volta dos 30. 
Eu já conquistei algumas coisas ao longo da minha vida, pelo menos acredito que sim. Mas a minha familia acha que não. Os meus mais próximos acham que eu ando aqui só a encher chouriços, só a passar tempo.
Para toda a minha família eu sou a imprestável que vive às custas da mãe. Não vivo assim tanto às custas dela. Eu pago toda a minha comida, eu pago gás, agua, tv e electricidade todos os meses e que essas despesas rondam os 150€ mensais mais o dinheiro para a renda (não integral mas uma parte, agora até tenho colaborado menos por causa de umas despesas mais pesadas que me apareceram). Nesta casa não falta nada porque tudo o que avaria é substituo por novo, já comprei muitos electrodomésticos para a casa e muitas outras coisas. Faço compras mensais de todos aqueles artigos que fazem falta numa casa e entre outras coisas. 
Admito que não sou eu quem trata da roupa porque a minha mãe não aceita a minha forma de fazer as coisas (por mim, a roupa muito bem estendida e depois de recolhida bem dobrada não precisa de ser necessariamente passada a ferro/engomada) mas se tiver sozinha trato disso também e tenho roupa para vestir sempre. Não faço muitas das limpezas porque para a minha mãe nunca fica feito como ela quer e da forma como ela quer e para evitar mais brigas e chatices preferi só fazer quando estou sozinha.
No entanto, para toda a minha familia eu sou a imprestável que vive às custas da mãe e que não faz nada de útil, pois durmo até tarde e deito-me tarde e não tenho horários para nada. Eu trabalho na restauração. O boteco onde eu trabalho fecha sempre à meia noite e nunca saio de lá antes da 1h da manhã. Tenho este tipo de horários há anos e nunca ninguém os percebeu bem, nem fizeram o mínimo de esforço de perceber que este horário é diferente dos habitual das 9h às 5h.
 Dizem-me que eu tenho de crescer e ser independente e sair debaixo das saias da mãe. Eu acho que devia fazer como uma pessoa que conheço que foi realmente independente mas antes disso viveu à minha custa ainda durante uns tempos até que eu disse o basta. Acho que devia sair de casa e ir para um quarto alugado dividir casa com estranhos e não pagar renda à espera que por obra de Deus nosso Senhor ela apareça paga, estoirar cartões de crédito e no fim deixar isso tudo para a minha mãe pagar. Acho que devia ser independente e deixar o carro sem seguro e sem inspecção e avariado para a minha mãe arranjar e quando precisar de comer ir à casa da minha mãe fazer compras. Acho, sem dúvida alguma, que é melhor ser independente sozinha, sem mãe por perto (mas vivendo às custas dela) e viver com estranhos do que ser independente e viver com a minha mãe por uma questão de gestão de fundos (ironicamente falando).
Depois, além de viver com a minha mãe aos 30, ainda temos o facto de eu ser solteira e gostar (tem dias que não gosto) de ser assim, livre de compromissos e de não desejar com todas as minhas forças ter filhos. Não é que não queira, porque obviamente que gostava mas, não faço disso objectivo de vida.
Talvez a minha visão seja a errada, talvez eu seja a imprestável e acomodada que todos acham. E sim, admito que estou acomodada a esta vida, mas se surgisse a oportunidade eu adaptar-me-ia bem na mesma. Não me sinto imprestável com quase 30 anos, apenas com todo o fechar de portas à minha volta apenas procuro a janela por onde sair.  E, muito sinceramente, gostava bem mais que essa janela fosse aqui, no meu país, do que por este mundo fora.

Festas, arraiais e festivais de verão

Aqui pela minha terra não há grandes festas de verão. Quando era pequenina havia sempre as festas de verão nos arredores mas aos poucos essas festas foram morrendo. Lembro-me tão bem de ir ver tocar nessas festas grandes estrelas portuguesas como: Tony Carreira, Quim Barreiros, Ágata, Emanuel, entre tantos outros hits dos noventa. Hoje já nada disso se faz aqui. Porém, há sempre qualquer coisa nos santos populares mas nada do que se vê por este país fora. Temos também o Festival de Marisco, mas, aqui em Faro, é só para comer mesmo. Resumindo, aqui não temos mesmo nada, esta cidade é uma pasmaceira. Mas temos o espírito e o Algarve em peso ruma ao Sudoeste todos os anos, há autocarros para o Rock in Rio, combinações para o Alive...o que não falta é o nosso espírito pelas festas deste país fora :)
No entanto, temos aquele 'quase' bom tempo todo o ano.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

O meu calçado de verão

No verão eu gosto de coisas leves e frescas, no entanto, no trabalho tenho de andar de sapatos fechados.
Por isso o meu calçado de verão não podia ser mais prático e leve :)

terça-feira, 5 de junho de 2012

Deu-me vontade de chorar...

...ao ver a reportagem da TV, ' A Geração Adiada'. Eu faço parte dessa geração. Eu nasci no inicio do tudo, eu cresci e lutei e hoje não tenho nada. Eu trabalhei desde a altura que frequentava o 10º ano, trabalhei até acabar a licenciatura. Cheguei a ter 3 trabalhos ao mesmo tempo e mais a faculdade. Eu ainda trabalho porque mantive o meu part time do tempo da escola. Se não fosse esse part time eu estaria desempregada neste momento. É esse part time, agora full time, que me permite morar numa casa com a minha mãe e pagar as despesas. É esse trabalho do tempo de escola que me permite ter dinheiro para viver um pouco da vida. Não me permite grandes loucuras, nem viagens de sonho mas permite-me sobreviver e ter o mínimo de condições possíveis.
Quando era criança pensava que nesta fase da minha vida já estaria casada e com filhos. Já teria casa própria e seria independente. Hoje, olho para trás e não vejo nada disso. Nem casa, nem independência nem nada. Simplesmente, no país onde nasci e que sempre disse que não abandonaria, não alcanço nada, não sou nada nem ninguém. 
Nunca fui pessoa de querer este mundo e o próximo, nunca quis demais do que posso ter. Mas queria ao menos sentir-me realizada e com a sensação de objectivo cumprido. 
Neste momento a alternativa é só uma, e cada vez que penso nela dá-me vontade de chorar. Quando penso que tenho que deixar tudo o que conquistei  para trás, dá uma dor no peito. Dói demais.

Um Segredo de Verão

What happens in summer stays in summer!!!


*Se é segredo não posso contar :)

segunda-feira, 4 de junho de 2012

O que não gosto do Verão

Não gosto de osgas e todos estes repteizinhos que aparecem nestas alturas elas andam por todo o lado e eu tenho um pavor do caraças. De resto aguento tudo, até aqueles dias de chuva que teimam em aparecer em Agosto :)

domingo, 3 de junho de 2012

Sessão de Cinema

Vi este filme na semana passada. Esperava apenas mais uma comédia romântica que de comédia tinha muito pouco, no entanto, acabei a rebolar a rir na cama com tamanhas loucuras dos rapazes. Leve, mas divertida. Recomendo

O que não pode faltar no Verão...

No verão não pode faltar muita coisa, desde o sol, o calor, a praia, os gelados, o peixe grelhado, a fruta fresca, a água gelada, os amigos, a esplanada do costume, o protector, as festas de verão, a música e os festivais e tanta outra coisa. O verão é aquela estação em que se está bem é na rua a festejar o que quer que seja, em paródia e alegria desde que nos levantamos até ao momento em que nos deitamos.
Mas para mim, o que não pode faltar de forma alguma são as sonecas na praia. Se há coisa que adoro fazer é colocar a sombrinha na areia e estender a minha toalha há sombra, encher-me de protector da ponta dos cabelos até às unhas dos pés e dormir. Não há melhores sonhos do que os que tenho na praia. E depois de uma bela visita ao mundo dos sonhos é acordar e dar um valente mergulho na água refrescante. Quem me tira a soneca na praia, tira-me tudo :)

sábado, 2 de junho de 2012

O verão numa cor...

O verão pode ser qualquer cor viva e alegre. O verão é a estação das cores. Mas, para mim, a cor do verão é o laranja. O laranja é uma das minhas cores preferidas, além disso adoro a tonalidade laranja que o sol tem ao se pôr e do reflexo que faz em tudo o que é banhado por essa cor. Quando era pequena ia para a varanda na casa dos meus pais e ficava a ver o por do sol e as cores reflectidas nas paredes, nas árvores em tudo. Por isso, para mim não pode ser outra cor se não o laranja :)


Gostava muito de poder dizer que a foto é minha...mas foi tirada por um amigo

sexta-feira, 1 de junho de 2012

O Verão da minha infância...

Não consigo pensar num só Verão. Penso no geral, um pouco de todos os Verões vividos na minha infância. O verão era passado em casa com as minhas irmãs. Era mais do mesmo, durante a semana brincávamos na rua com os amigos, andávamos de bicicleta, jogávamos ao berlinde, fazíamos pique-niques debaixo de uma laranjeira que tinha os nossos nomes gravados, fazíamos bolos e torradas para os lanches, dávamos mergulhos no tanque de rega do meu pai, brincávamos com carrinhos de rolamentos rua a baixo, esfolávamos os joelhos, tomávamos banho de mangueirada, brincávamos com as barbies e na última semana de férias as minhas irmãs faziam todos os meus trabalhos de casa enquanto eu (que supostamente estava de castigo por não ter feito nada dos trabalhos que a professora passava para o verão) via desenhos animados na televisão. Aos fins de semana a família ia toda para a praia com patuscada para o dia todo e todos os dias comia um super maxi :)

Não sou muito dada a esse tipo de coisas, nem sei bem de onde surgiu a ideia mas este mês apetece-me e pode ser que daí volte a vontade de partilhar algo com o mundo todos os dias. Bem vinda ao desafio do mês :)


Epah, desculpa mas não posso contar. É segredo!

Se há coisa que me aborrece são aquelas pessoas que começam a contar algo e a meio cai-lhes a ficha e saem com um: 'Ah e tal não posso contar mais porque é segredo.'.
Então é assim, se não podem contar então nem comecem. Pior do que não saber de nada é darem um cheirinho de conversa e depois não contarem o resto. Gente chata pah!