Avançar para o conteúdo principal

Desculpem lá ficar indiferente...

...mas não consigo entender toda esta coisa à volta do acidente do Angélico. Já quando foi o Dino foi a mesma coisa. É preciso tanto?!? Sei que a família deve estar a sofrer horrores mas não precisam de tirar proveito disso para fazer noticia. 
Acidentes parvos e estúpidos acontecem todos os dias por causa de condutores inconscientes ou por pequenos azares que podem acontecer. Há pessoas que nem resistem ao acidente outras que ficam com mazelas graves para o resto da vida. Se ninguém ficou triste com as perdas que eu já tive, não me peçam para andar aí a chorar ou a lamentar a perda de uma grande estrela. 
Sei que é egoísta da minha parte mas para mim nem me aquece nem me arrefece. Passa-me ao lado. E depois de saber que iam sem cintos de segurança e sem seguro ainda mais. 
Eu ando num carrito pequeno, com seguro em dia, com revisões em dia e quando me ia espetanto a sério, que tive uma sorte do caraças e que nem foi por condução negligente o que me disseram foi: A culpa é tua, devias ter mais cuidado. 
Vi a vida passar-me à frente dos olhos, se isso me fez conduzir com mais cuidado, lá isso fez. Afinal ninguém é imortal e a fama e o dinheiro não são o elixir da eterna juventude.

Comentários

  1. É verdade, deviam respeitar a dor da família...

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo, não devia ser um "espectáculo"... No dia em que vi a vida a passar à frente dos olhos foi porque um carro se despistou e eu só podia esperar para ver se ele não vinha contra mim. Podia ter corrido muito mal e eu não tinha culpa nenhuma.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. está muito exagerado sem dúvida.. e aquele povo a porta do hosp? por amor de deus

    ResponderEliminar
  4. É mesmo... fazem um imenso alarido à volta disto porque se trata de uma figura conhecida. :S

    ResponderEliminar
  5. concordo contigo.. não deixa de me arrepiar o facto de ser um jovem, que podia ainda ter muitos anos pela frente, no entanto, acho ridiculo quando pessoas que nem amigas, nem da familia são, vão para a porta do hospital chorar e gritar como se tivesse morrido um familiar chegado dessas mesmas pessoas. Que raio de gente ridicula!

    ResponderEliminar
  6. É uma figura pública, mas não é diferente de todos os que sofrem acidentes na estrada e que não estão a ser notícia a todos os segundos nos meios de comunicação. Estou contigo. O Angélico ou seja quem for, é sempre triste. Mais triste ainda é não terem mais nada para falar, não deixando a família e a sua dor.

    ResponderEliminar
  7. Compreendo a tua opinião. O problema é que a comunicação social aproveita ao máximo estes casos para vender...

    ResponderEliminar
  8. http://www.youtube.com/watch?v=r7Hpfbe7l7I Faço minhas as palavras do rapaz moreno que morreu, "It feels so good, You can leave the world behind..." alem de o condutor não se ter responsabilizado pela rapariga menor que ia sem cinto! E o barulho do cinto? tiraram de propósito?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Agora sim, vou ficar louca!

Eu pensava que era o trabalho que me ia levar à loucura. Que mais dois meses e estava internada no Júlio de Matos. Mas enganei-me. Estar em casa de cú para o ar sem ter de me preocupar com nada é que me vai levar à loucura.  O que me dizem é:'ah  tal tu só estás de férias há dois dias...vais arranjar alguma coisa e tal e tal'. Gente eu andava a mil, era contratar pessoas, era formar pessoas, era programar cuponeio, era ver cuponeio, era mandar 1500 mails com a mesma informação, era ligar ao departamento tal por causa disto e daquilo, era um acidente que acontecia e mais do mesmo, eram tretas e tretas e agora não há nada... E se eu não arranjar emprego fico um ser imprestável para o resto da vida!!!!

Despedi-me e agora?!?

Hoje foi o dia. Trabalho na mesma empresa há metade dos anos que tenho de vida e cheguei ao fim da linha. Não entendo como as empresas tratam os funcionários, foram anos de ameaças(que nunca passaram de ameaças), foram anos de exploração (consentida), foram anos de pressão desmedida, foram anos de exigência controladora e foram anos que perdi da minha vida.  Levo comigo uma aprendizagem para a vida, um esgotamento nervoso e uma depressão. Levo comigo no coração as mais de 800 pessoas que conheci, que me aturaram e que partilharam um pouco delas comigo. Agora não sei bem o que fazer, nunca procurei trabalho, nem sei bem o que sei fazer, nem sei bem para que serve a minha licenciatura...não sei de nada. Só tenho uma certeza, melhores tempos virão...

A metade da laranja, ou a tampa da panela, ou o raio que o parta!

Quando se chega a uma certa idade temos uma pressão descomunal de toda a sociedade, familiares, amigos casados ou amantizados, para que faças o mesmo.
Fui a um casamento em que a única pessoa sem acompanhante era eu e a minha sobrinha. Salvou-se o barman versus handyman que era lindo de morrer, super simpático e que fizemos amizade para a vida ou para a próxima semana vá.
Hoje, no segundo dia do casamento já diziam que nós vamos casar. Não nos vamos casar de certeza e vou continuar solteira por uns bons tempos, mas que há vontade para nos conhecermos melhor lá isso há.
E sinto que de um momento para o outro tudo está a mudar e estou a gostar da mudança.