Das pessoas e de como nem tudo o que escrevemos tem um duplo significado

Ter um blog conhecido entre os meus amigos e família começou a incomodar-me. Não que o outro blogue tenha alguma vez deixado de fazer sentido, que não deixou. Simplesmente tinha de seguir para outro lado sem deixar um grande rasto. Tinha de seguir para um lugar em que pudesse falar do que me apetecesse sem que ninguém me fosse mandar sms ou ligar para falar do que escrevi. Não que tenha algo contra isso, que não tenho. Mas o que escrevo aqui é como se escrevesse num diário de bordo da minha vida e por vezes são pequenos desabafos que não têm mais significado do que aquilo que está escrito e as pessoas começam logo a fazer filmes enormes. Se escreves isto estás apaixonada, se escreves aquilo é porque te largaram, se estás feliz é porque devias estar triste e vice versa. Enfim, as pessoas que me conhecem tendem sempre a pôr a carroça à frente dos bois e isso aborrece-me. 

Comentários

  1. É por estas e por outras que a minha familia e amigos nem sabem...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário