Não se escolhe de quem se gosta, mas escolhe-se fazer o correcto ou o errado.


Estou no meio de uma encruzilhada. Ele gosta de mim, segundo as palavras dele, tal como eu sou. Mas eu não gosto dele. Já lhe expliquei isso, já abri o jogo e disse que não gostava dele sem ser como amigo e que nunca passaria disso. Eu sempre gostei dele como amigo e gosto de falar com ele mas sei que ao falar com ele tudo o que eu possa dizer vai fazer com que ele fique com novas esperanças. Eu não quero que ele fique com novas esperanças, eu quero que ele goste de mim só como amiga. 
Porque raio estas coisas comigo nunca correm normalmente. Sei que vou acabar por o magoar e não queria. E fico triste porque queria mil vezes gostar dele e não de outra pessoa mas não posso controlar isso.

Comentários

  1. Era bem mais fácil se pudéssemos escolher de quem gostamos. De facto essa situação com esse amigo é complicada pois como dizes tudo que faças ele interpretará como esperança de que algo aconteça. Provavelmente a melhor coisa a fazer é te afastares dele mesmo porque mesmo que ele te diga que tem noção que são só amigos ele na realidade não tem essa noção e terá sempre esperança que aconteça como nos filmes, que um dia acordes e vejas que afinal é dele que gostas.

    ResponderEliminar
  2. Já me aconteceu e foi complicado para conseguir gerir. Acabei por optar por me afastar para não criar mal entendidos e a pessoa não ter falsas esperanças. Tens de ver o que será melhor no teu caso, mas não é fácil.

    ResponderEliminar
  3. Com o tempo tudo passa e tudo se compoe

    ResponderEliminar

Enviar um comentário