O meu tempo



Eu levo sempre o meu tempo a interiorizar as coisas. Até tudo ficar resolvido na minha cabeça passo por várias fases. Umas são mais complexas que outras, umas mais demoradas que outras, mas, o que me interessa é que no fim eu fique bem comigo própria e com os que me rodeiam. 
Talvez por isto, pela fase da interiorização, eu não goste de surpresas. Pois, tanto, para coisas más como para boas eu tenho de passar por todas as fases. Obviamente que quando é algo para lá de bom eu interiorizo mais rapidamente. 

As coisas más levo muito tempo a interiorizar, primeiro fico zangada comigo e a culpa é toda minha, depois passo pela fase de culpar as outras pessoas, depois volto a mim e aceito que eu é que fiz mal determinadas coisas, depois passo por essa fase com os outros e uma dia acho que já ninguém tem a culpa e sigo em frente. Esse dia pode levar tempo a chegar, mas chega.

Vai haver uma manhã, em que acordo e o meu primeiro pensamento vai para outra coisa qualquer e quando me apercebo que não pensei no determinado assunto que me magoou fico feliz e sorrio. Depois vão vir mais uns dias negros em que quase me obrigo a não pensar, mas já pensando, no assunto. Até ao dia em que me apercebo que já lá vai uma semana que não penso nisso. E depois disso é só seguir em frente. Não há cá sms nem facebooks a estragarem os planos. Com o tempo chego lá e quando eu chegar lá é sinal que tu já eras.

Comentários

  1. É a tal coisa... no dia que se passar um dia inteiro sem pensar numa determinada pessoa, nem que seja uma vez, é sinal de que a "doença" está curada!! ;) Bem sei o que isso é!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário