Quando me voltarem a dizer que saio ao meu pai, já sei o que responder.

O meu pai detestava médicos. Simplesmente não punha lá os pés porque detestava-os. Nesse ponto sou tal e qual ele. Vou porque sou obrigada, pois a minha vontade de lá ir é muito reduzida. 
 Este ano só fui ao médico duas vezes até hoje. Fui quando tive uma grande gripe e já não conseguia respirar com as dores que tinha nas costas e as pessoas começaram-me a assustar a dizer que estava com pneumonia e sei lá que mais. E da outra vez fui quando já não conseguia mexer o pescoço de tão inchado que estava e obviamente com as dores que também sentia e isso tudo era papeira. 
Mas agora decidi que tem de ser, tenho que ir ao médico regularmente. Hoje fui ao médico e ia morrendo com os nervos só de pensar o que podia advir dali, mas está tudo bem. Para o mês que vem temos dentista e ainda este mês temos consulta de rotina no médico de família para análises e exames a uma dor que tenho no calcanhar há mais de 4 meses mas que fui adiando até agora que a dor é insuportável. Ainda fica a faltar dermatologista e oftalmologista mas cá me cheira que isso só para 2013. 
O problema que ponho nesta história toda é que isto de cuidar da saúde sai assim para o caro, vá lá que ainda tenho um segurito de saúde porque se fosse tudo a bancar do meu bolso via-me grega para pagar estas consultas e exames todos.

Comentários