13 anos

Já passaram 13 anos desde que entrei naquela loja pela primeira vez em busca de um trabalho. 
A minha mãe disse-me: 'Tens 17 anos, vais trabalhar no verão. Não quero que fiques em casa de papo para o ar à espera que as coisas te caiam aos pés. Vai aprender a dar valor a tudo.'
Assim foi, encontrei aquele part time e pimbas, fico já aqui para não me chatear mais. Foi um verão cheio de coisas boas. Conheci muitas pessoas novas e muitas delas mais velhas que eu, aprendi a dar valor ao que ganhava, aprendi a gerir a minha vida em torno de um trabalho. Acabado o verão a ideia era despedir-me e ficar só a estudar. 
Mas nesse momento bati e pé e disse: 'É que nem pensar que vou voltar a depender de ti para tudo e mais alguma coisa. Concilio o trabalho e o estudo. Não te preocupes.'
E assim foi, levei mais dois anos a acabar o secundário do que era previsto, mas inscrevi-me na universidade e continuei sempre a trabalhar e vou continuar, apenas muda o patrão.
Ao longo deste 13 anos mudaram a gerente e os sub gerentes. Pessoas saíram e muitas outras entraram. A única pessoa fixa e que considerávamos insubstituível era o patrão. Hoje o meu patrão despediu-se de nós, não aguentou o barco e entregou-o.
Hoje olho para trás e tenho noção que eu gostava dele. Gosto mesmo. Foi graças a ele que eu cresci e me tornei na pessoa que sou hoje. Com ele já ri muito, já chorei, já gritei, já refilei, já fiz tanta coisa que nem sei.
Foram 13 bons anos e só tenho que lhe agradecer pela pessoa que ele sempre foi para nós. Umas vezes mais amigo, outras patrão mas estava lá para nós e para os nossos fricotes. Obrigado J.

Comentários

  1. São 13 anos de muitas histórias...ficam as recordações, certo? E a vida continua...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário